A Bahia está vivendo um caos sanitário na agropecuária, denuncia Arthur Maia

A Bahia está vivendo um caos sanitário na agropecuária, denuncia Arthur Maia

Em suas redes sociais, o deputado Arthur Maia denunciou a inoperância do sistema que gerencia o banco de dados da movimentação agropecuária baiana e demonstrou indignação com o que chamou de “caos sanitário”. “Toda a cadeia rural produtiva está vivendo um momento de caos absoluto, porque, por incompetência do governo Rui Costa, os produtores não estão conseguindo emitir a GTA (Guia de Trânsito de Produtos Agropecuários) para fazer o transporte de animais e vegetais”, disse.

Com a limitação técnica imposta, as emissões de documentos sanitários estão ocorrendo de forma manual, ocasionando o comprometimento da sanidade dos rebanhos e dos produtos vegetais produzidos na Bahia. “Estamos falando de segurança alimentar . Os baianos estão correndo um grave risco de consumir animais sem nenhum controle de vigilância, porque os fiscais da ADAB estão sem acesso ao banco de dados. Essa situação interfere diretamente em toda movimentação da agropecuária baiana”, advertiu.

Maia lembrou ainda dos prejuízos econômicos que poderão advir da situação. “Quase 1/4 da economia baiana vem do agronegócio. Estamos com risco iminente de interrupção de toda a cadeia de comercialização, tanto interna como externa, porque ninguém vai querer comprar produto sem ter assegurada a sua sanidade”, alertou.

Nesta quinta-feira (05), o deputado Arthur Maia procurou o Ministério da Agricultura para pedir intervenção em favor dos quase 800 mil produtores baianos. Na ocasião, o parlamentar foi informado que a ADAB já está em contato com a pasta. “Veja a que nível de desmando chega a nossa Bahia administrada por esse governo pavoroso de Rui Costa. Neste momento, a ADAB está batendo nas portas do Governo Federal, a quem tanto critica, para pedir socorro. Não é possível que o nosso Estado, que tem na produção rural a sua principal receita, esteja vivendo uma situação dramática como esta. É lamentável tanta incompetência em um governo só”, finalizou.

Assista o vídeo aqui.

“Nunca vi um ato tão perverso que atinge diretamente os mais pobres” diz deputado Arthur Maia acerca de portaria estadual sobre cobrança de água de poço artesiano

“Nunca vi um ato tão perverso que atinge diretamente os mais pobres” diz deputado Arthur Maia acerca de portaria estadual sobre cobrança de água de poço artesiano

O deputado Arthur Maia chamou de perversa a cobrança do uso da água obtida através de poço artesiano em toda a Bahia. No último dia 02, o Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), órgão ligado ao Governo do Estado, baixou uma portaria que obriga a instalação de hidrômetros para medir o volume de água captada de lagos artificiais e poços tubulares para consumo humano cuja vazão supere 129,6 metros cúbicos por dia.

“A Bahia é responsável por quase metade das regiões secas do Nordeste. As pessoas que vivem nessa região passam muitas dificuldades e sobrevivem, na grande maioria, às custas da água tirada dos poços tubulares. E é justamente essa água que o governador petista Rui Costa quer cobrar do sertanejo que já vive com tão pouco. Ao longo de toda a minha vida pública, nunca vi um ato tão perverso e mesquinho dirigido diretamente contra os mais pobres”, disse.

O parlamentar antecipou que já está estudando medidas judiciais cabíveis para “evitar essa cobrança criminosa contra o povo mais humilde da Bahia”. “O governador Rui Costa, que vive no Palácio de Ondina, cercado de regalias às nossas custas e com água à vontade, certamente não sabe como é viver no sertão seco, miserável, sem água e sem produção. A Bahia não pode admitir mais essa perversidade do PT. Rui deveria diminuir os gastos do Estado botando pra fora a petezada empregada e não prejudicando os mais pobres”, concluiu.

Arthur Maia critica Rui: “governador faz apologia ao trabalho infantil”

Arthur Maia critica Rui: “governador faz apologia ao trabalho infantil”

As recentes declarações do governador Rui Costa (PT) para flexibilizar os horários nas escolas da zona rural para que as crianças possam ajudar os pais na colheita foram criticadas pelo deputado federal Arthur Maia (DEM). Para o parlamentar, o posicionamento do governador é grave e faz apologia ao trabalho infantil, especialmente na agricultura, considerada pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) como uma das atividades que mais trazem prejuízos às crianças.

“Governador, o que é período de colheita para o senhor? A Bahia não tem nenhum período de colheita tão delineado que justifique essa tal flexibilização do horário escolar. O senhor quer incentivar e legalizar o trabalho infantil. Ao invés de fazer apologia ao trabalho infantil, o senhor deveria fazer seu trabalho e ofertar educação de qualidade às crianças, ofertar ensino em tempo integral, indicado por especialistas para o melhor desenvolvimento dos estudantes”, bradou o democrata, lembrando que a Bahia tem o pior Ideb do Ensino Médio do país.

Maia lembrou que a Bahia é o terceiro estado com maior número de registros de exploração do trabalho infantil do país, de acordo com informações da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (PNAD) elaborada pelo IBGE. São cerca de 250 mil crianças exploradas na Bahia, que fica atrás apenas de São Paulo e Minas Gerais. O parlamentar alertou que, caso Rui leve à frente a proposta, medidas cabíveis serão tomadas. “Se esse ato criminoso se concretizar, haveremos de tomar medidas cabíveis. Como se já não bastasse a falta de políticas do governo para combater o trabalho infantil, o governador ainda quer incentivar essa prática para se eximir da culpa. As declarações de Rui Costa são um verdadeiro retrocesso e envergonham a Bahia”, frisou.

O deputado pontuou ainda que o trabalho infantil é resultado dos problemas sociais da Bahia e traz prejuízos incalculáveis para o futuro dos jovens. “Quando uma criança trabalha, reduz seu tempo de convivência familiar e de estudo. Na agricultura, temos um outro fator: o cansaço físico e mental, que faz com que muitas delas acabem abandonando os estudos. A declaração do governador é parte da equivocada noção que o PT tem de promover a ignorância, de atacar quem mais precisa”, criticou.

Fonte: Política Livre